6 Responses

  1. Bruno Fernandes
    Bruno Fernandes at |

    O Post primeiramente está excelente! Abordaram uma das vertentes mais importantes que quanto a mim existe. Ser gordinha com vergonha é ter vergonha de ser gordinha. A auto estima é deveras importante. Seja num gordinho, num magro e não só! Para além de todos os problemas adjacentes à vergonha que foi focado. O "Tens uma cara tão bonita, podias emagrecer" não é mais que: "Com essa cara ficas mal nesse corpo!" Sempre deduzi para mim e na minha opinião ( como calculo de muitos que partilhem da minha ideia) que este tipo de opiniões, que tantas vezes deduzo que não é com o intuito de magoar, mas já magoando de uma forma maquiavelicamente disfarçada….só mostram a continuidade de deduções, pensamentos, ideias que definem personalidades. Pessoas assim não são amigas. Sinceramente…cara bonita, gordinha que sejam, amigos, conhecidos, familiares, simples seria dizer: "Amo te de todas as formas" Porque a importância da presença em vida é mais saborosa do que tamanhos de peitos, formatos de corpo e acima de tudo…ausência de amor de uns para outros. But…that s Life! So…live the way you like it!

    Reply
  2. CarlaC
    CarlaC at |

    Concordo plenamente com cada palavra deste blog. Gozar de pessoas gordas não as incitiva a emagrecer, ou consequentemente, ser mais saudáveis – que por si é relativo. Pelo contrário, torna-se mais vuneráveis e sensíveis, com falta da auto-estima e auto-confiança, o que muitas vezes as leva a exilar-se e a comida torna-se um conforto, o pior ainda mais a situação (tanto física ou psicologicamente). Digo isto por pura experiência! Eu sobrevivi por sorte, e mudei porque não queria passar o resto da minha vida assim – não por ser obesa, mas queria viver a vida como deve ser vivida. E tenho a personalidade que tenho não por ter sido gorda mas pela maneira que as pessoas me tratavam,que não era boa.
    Mais um artigo bem construído. Gostei. Estão de parabéns.

    coisinhasdacarlac.blogspot.com

    Reply
  3. Anónimo
    Anónimo at |

    Obrigada Bruno, por nos acompanhares e pelo comentário.
    Sábias palavras! "Amo-te de todas as formas" seria o substituto ideal a "mas tens de perder esses 5 Kg a mais" de facto 😀

    Beijinho

    Reply
  4. Anónimo
    Anónimo at |

    CarlaC!

    Resumiste num comentário exactamente aquilo que queria dizer com o post. É isso mesmo. Mas admiro a tua atitude, de quem não se deixa derrotar por isso, e um dia resolve viver a vida como ela merece ser vivida – sem complexos! É isso que defendemos! Fat shaming ou outras formas de gozo e crítica há sempre, sejamos gordos ou magros. Mais vale mesmo não ligar e continuar a viver! 🙂

    Obrigada!

    Beijinho,
    Cláudia

    Reply
  5. Ainda sobre o fat shaming
    Ainda sobre o fat shaming at |

    […] em Cláudia Silva on Setembro 12, 2015 | Comentários No outro dia escrevemos sobre os efeitos nefasto das práticas de fat shaming.    Nem a propósito deste tema, houve recentemente uma polémica acerca de um vídeo lançado por […]

  6. #11 Se ela conseguiu, tu também consegues / Inspiração – Nadia Aboulhosn

    […] descontracção e descomplexo que Nadia se apresenta, há sempre quem pratique a moda do body/fat shaming, através das redes sociais, e até mesmo criando sites com títulos depreciativos, como por […]

Leave a Reply